ACERVO MATERIAL DE DOM HENRIQUE RÜTH É MOVIDO PARA TEATRO DOS NÁUAS

No térreo do Teatro dos Náuas, em Cruzeiro do Sul, estão guardadas as mais de 2 mil peças do acervo sacro, paleontológico e indígena, frutos das andanças do bispo Dom Henrique Rüth pela região do Juruá e preservadas pelo padre alemão Herbert Douteil, conhecido na cidade como padre Eriberto. Algumas peças datam de pelo menos 450 d.C. e hoje se encontram na competência da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM). A boa preservação do material de D. Henrique foi elogiada por arqueólogos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Um dos maiores interesses da FEM é o de preservar todo esse patrimônio de imensa importância, fonte de pesquisa e de história. Nas palavras de padre Herbert: “onde se cortam as raízes, não se entende o futuro, o desenvolvimento orgânico”. Em 2014 as peças foram catalogadas pela equipe do setor patrimonial da Fundação, dentre servidores e estagiários.

A chefe do núcleo de patrimônio imaterial da FEM, Irineida Nobre, contou que, apesar da perda de algumas peças mais perecíveis, os materiais resguardados por D. Henrique estão em boas condições. “Pudemos construir uma reserva técnica para preservar a maioria das peças”, disse. “Agora a equipe de Cruzeiro do Sul levou o acervo para o Teatro dos Náuas, um espaço mais moderno e acondicionado, onde deverá ficar até a reforma do Memorial José Augusto de Araújo”.  

Dentre os itens inclusos no acervo estão uma coleção de objetos de povos indígenas de diversas etnias, esculturas, estatuetas trazidas por imigrantes cearenses, medalhas de santos, peças de marfim, machadinhas, moedas e uma réplica em miniatura da Pedra de Roseta, cuja versão original está guardada no Museu Britânico e serve para compreender a escrita de hieróglifos egípcios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *