Espaços Culturais

No aniversário de 60 anos de emancipação do Acre o Governo do Estado entrega obras do complexo Cine Teatro Recreio e galeria Juvenal Antunes

O Governo do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), entrega à sociedade acreana, no 60° aniversário de emancipação política do Estado, quarta-feira, 15, o complexo do Cine Teatro Recreio e Galeria de Artes Juvenal Antunes. A programação conta com intervenções culturais, que iniciam às 16 horas. A reforma do complexo compreende a sede administrativa da FEM, o Cine Teatro Recreio e a Galeria de Artes Juvenal Antunes.

A Galeria de Artes Juvenal Antunes será reaberta com a exposição “Revolução Acreana”, do artista plástico Rivasplata, que se estende até o dia 22 deste mês. Já no palco do Teatro, o público poderá assistir a uma performance teatral, e, logo em seguida, a um show musical elaborado por artistas locais.

Fundada em 2006, e localizada no prédio do antigo Hotel Madrid, hoje, a Galeria de Artes Juvenal Antunes faz parte do complexo histórico do Calçadão da Gameleira, junto ao Cine Teatro Recreio. A Galeria, que é um espaço referência das artes visuais acreanas, leva o nome de um poeta, o “Juvenal”, e possui o objetivo de reunir, num só espaço, obras de diversos segmentos, a fim de difundir e revelar novos talentos.
Para o presidente da Fundação de Cultura Elias Mansour, Manoel Pedro (Correinha), as revitalizações e manutenções destes espaços significa a busca pela pluralidade, além de torná-los mais democráticos.
“A cultura tem sido uma das preocupações desta gestão e do próprio governador Gladson Cameli. Temos trabalhado para que possamos dar aos fazedores de cultura todo o apoio, e oferecer à sociedade nossos aparelhos culturais com conforto e segurança. Estas três obras fazem parte de uma séria de tantas outras que a gestão vem fazendo desde 2019, em todo o estado. Mesmo enfrentando uma severa pandemia, o Governo não parou e aproveitamos o fechamento dos espaços para reformá-los”, diz o presidente da FEM.

Interior do prédio do Cine Teatro Recreio em processo de revitalização, 2022. Fonte: Assessoria de Imprensa e Publicação.

A grande novidade é a acessibilidade dos espaços que, agora, passam a contar com a instalação de pisos, mapas e placas táteis, e a adequação de banheiros PNE (adaptados para pessoas com necessidades especiais). Além disso, há adequação de espaços para cadeirantes, obesos e portadores de mobilidade reduzida na sala de projeção do teatro.
A sede administrativa também passou por revitalizações e seguidas de mecanismos de promoção da acessibilidade. Sobre isso o presidente da FEM destaca “É um grande orgulho para nós, que esses patrimônios sejam adaptados depois de tantos anos. É importante que a pessoa com deficiência tenha acesso à cultura. Esse olhar sensível sempre coube a nós, mas somente agora conseguimos possibilitar esse feito à população”, disse o presidente.

Interior do prédio do Cine Teatro recreio revitalizado, 2022. Fonte: Assessoria de Imprensa e Publicação.

FEM realiza reparos nas instalações da Biblioteca de Epitaciolândia

A Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) iniciou, nesta semana, reparos de manutenção na Biblioteca Heleomar de Souza, em Epitaciolândia.

Os reparos na biblioteca são realizados por uma equipe de manutenção da FEM. A medida é das ações de recuperação dos espaços culturais do estado.

A expectativa é de que a biblioteca seja aberta ao público até o dia 15 deste mês.

Governo do Acre planeja firmar ordem de serviço para restauro da Tentâmen

Nos próximos dias o Governo do Acre e a Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) irão assinar a ordem de serviço para a restauração da Sociedade Recreativa Tentâmen, após uma longa maratona dos gestores da FEM em busca de viabilizar, garantir e cumprir com toda a burocracia para a aprovação e liberação do recurso.

Em 2019, após assumir a presidência da FEM, o presidente Manoel Pedro (Correinha), seguindo uma orientação do governador Gladson Cameli, iniciou um plano para a recuperação dos espaços culturais e históricos do Acre, em especial a Tentâmen, que estava abandonada e deteriorando pelo tempo e má gestão dos ex-gestores da FEM e do Governo passado.

Atualmente, o prédio da Tentâmen se encontra inutilizado. Fonte: Acervo

Naquele ano, iniciou-se uma verdadeira maratona para restaurar o espaço, que por se tratar de um patrimônio histórico cultural tombado, qualquer intervenção deve obedecer critérios técnicos, respeitando a originalidade do patrimônio, tal ação é prevista em lei.

Para se ter uma ideia, até mesmo as tábuas que serão utilizadas para a pavimentação do piso do prédio têm de ser do mesmo modelo, respeitando sua originalidade.

Foram quase 4 anos de muitas idas e vindas, em busca de devolver o espaço da Tentâmen à sociedade acreana. Enfim, estamos a alguns passos para que esse objetivo seja exitoso.

Nos próximos dias deve ser assinada a ordem de serviço para a restauração da Tentâmen, e em breve a sociedade terá o pomposo prédio à disposição, e manterá viva a história de milhares de acreanos que um dia já prestigiaram alguma atividade cultural no espaço.

A restauração será incentivada por um recurso que a Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) conseguiu acessar junto ao Ministério da Defesa, que ultrapassam o valor de 300 mil reais.

Para o presidente, a recfuperação da Tentâmen é uma das missões que ele, desde o início, tomou para gestão, e em nenhum momento deixou ser vencido pela lentidão dos órgãos fiscalizadores ou pelos prazos que são estabelecidos pela administração pública.

“Estamos muito felizes por estar próximo de vermos um dos passos mais importantes para que a Tentâmen seja devolvida a sociedade e possa enriquecer nossa cultura e nossos patrimônios históricos. A batalha na corrida contra o tempo foi de quase 4 anos, mas a gente venceu, o Acre venceu. Agora é assinar a ordem e serviço, fiscalizar a execução da obra pela empresa responsável pela restauração, e logo, logo reinauguramos a Tentâmen”, destaca ele.

“Confesso que todos os dias que chego na sede da FEM e olha para Tentâmen, e vejo a que ponto a irresponsabilidade e falta de compromisso com o bem público levou a Tentâmen, me entristecia muito, era uma dor, mas agora, a dor se torna risos e alegria de saber que nossa pomposa Tentâmen está se preparando para retornar aos palcos”, revela emocionado o presidente.

Manoel Pedro ainda destacou o pedido pessoal do governador Gladson Cameli em relação à restauração da Tentâmen.

“O nosso governador tem um olhar sensível para a cultura, ele mesmo pediu para que a gente não medisse esforços para recuperar a Tentâmen. E ele pôs todas as pastas que tem responsabilidade em algum momento do processo administrativo, quer que seja uma licença ou até mesmo a elaboração do projeto, disponível para esta obra” destacou Manoel.

 

Sobre a Tentâmen

Fundada em 10 de abril de 1924, a Sociedade Recreativa Tentâmen, que se situa no Segundo Distrito da capital Rio Branco, foi palco de grandes eventos da sociedade acreana. O nome se deve às diversas tentativas frustradas de fundar um clube, por parte de famílias tradicionais rio-branquenses.

A arquitetura da casa segue os padrões de casarão europeu, com adornos, construção sob pilares, com telhado em duas águas e varandas, estilo trazido pelos imigrantes da época. Os salões da Tentâmen receberam eventos como bailes carnavalescos, jantares, festas juninas e formaturas. O primeiro baile de carnaval ocorreu em 1925.

Baile oferecido pelos comerciantes de Rio Branco ao dr. Epaminondas Martins, Governador do Acre. Fonte: DPHC/FEM

O fim da era de ouro da Sociedade Recreativa Tentâmen, é datado à década de 1960, com o aumento do número de eventos no primeiro distrito de Rio Branco e a criação de novos clubes na cidade. A Tentâmen fechou suas portas pela primeira vez no início dos anos 1970.

No acervo da Divisão de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHC) da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) consta um pequeno trecho de entrevista com o senhor Antônio Cabeludo, na década de 1970, que há 32 anos cuidava de uma pensão localizada no porão do prédio e vivia do dinheiro dos jogos de carteado que aconteciam por lá. “A última vez que a Tentâmen funcionou foi no início desta década, no carnaval. ”, contou seu Antônio.

Imagem que denota mudança da utilização do espaço. Fonte: DPHC/FEM

Na década de 1980, por conta de uma grande mobilização da população, o prédio passou por sua primeira recuperação. Foi então entregue à Fundação de Desenvolvimento de Recursos Humanos da Cultura e do Desporto (que viria, futuramente, a ser a FEM). No decreto nº 713, de 08 de maio de 1988, foi tombada como Patrimônio Histórico Municipal pelo então prefeito Adalberto Aragão.

A reforma trouxe a vida de volta à Tentâmen, que passou a abrigar também festas juninas. Em 2020, foi tombada provisoriamente em âmbito estadual pelo governador Gladson Cameli. A restauração do prédio da Sociedade Recreativa se encontra, atualmente, em processo interno.

Fonte: Dossiê Histórico da Sociedade Recreativa Tentamen, disponível no link abaixo.

 

Governo trabalha para entregar Concha Acústica Jorge Nazaré em fevereiro

Palco de performances, shows, intervenções culturais e atividades das mais diversas, a Concha Acústica Jorge Nazaré, localizada em Rio Branco, está com suas obras concluídas. Com o aumento de casos relacionados à pandemia da Covid-19, de gripe e com a nova variante do coronavírus, o espaço seguiu restrito ao uso. Porém, o governo do Estado do Acre, através da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), trabalha para entregar o local até o final do mês de fevereiro, e a reabertura do espaço conta com uma programação especial.

O governo do Estado do Acre destinou um valor de R$300 mil para a revitalização do espaço artístico-cultural, que recebeu uma nova lona, com mais resistência, nova pintura e rampas, para maior acessibilidade, garantindo um alcance mais efetivo de artistas e do público.

De acordo com o presidente da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), Manoel Pedro (Correinha), a Concha Acústica é um local de extrema importância para a sociedade, que fortalece as atividades culturais no Estado. “A Concha sempre foi um lugar com o qual tivemos um olhar muito cuidadoso. Devido à pandemia e por esse ser um local de muito movimento e eventos, não poderíamos arriscar a saúde da população. ”, frisou.

Contudo, por este se tratar de um período de grande instabilidade devido ao aumento de casos de doenças, é necessário que a população acreana permaneça tomando todos os devidos cuidados. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), o número de infectados pelo coronavírus era de 91.781 em todo o estado nesta quinta-feira, 20.

Um palco universal

Localizada no Parque da Maternidade, a Concha Acústica é um dos pontos turísticos mais famosos de Rio Branco. Palco de vários eventos culturais, esportivos e ponto de encontro da população, ela foi inaugurada em 2002 e, desde então, tornou-se um dos locais mais queridos pela população rio-branquense.

Pedestres e ciclistas costumam circular pelo local em busca dos eventos culturais que acontecem por lá. O palco do local já recebeu músicos como Lenine, João Donato e a banda Los Porongas, atrações de carnaval e festivais como o Festival Chico Pop, que faz referência ao jornalista acreano homônimo.

O cantor Lenine veio ao Acre e se apresentou na Concha Acústica em 2014. Foto: Cinthia Davanzo/Flick

Governo avança em projetos de reforma da Tentamen e Usina de Arte

O governo do Estado do Acre, através da Fundação de Cultura Elias Mansour, prepara dois projetos de reforma: o da Sociedade Recreativa Tentamen e da Usina de Arte João Donato, ambos localizados em Rio Branco.

O projeto da Tentamen foi aprovado pela Caixa Econômica Federal e encontra-se agora em processo interno para a abertura de licitação. Durante o andamento dessa etapa será aberto um edital de licitação onde será escolhida uma empresa para ser responsável pela realização da obra.

Fundada em 1924, a construção está localizada próxima ao Calçadão da Gameleira, ponto turístico da capital acreana. Foto: Arquivo

A Tentamen está localizada no centro da capital acreana. Fundada em 1924, foi palco de formaturas, bailes carnavalescos e jantares, e passou a pertencer oficialmente ao Estado em 2016. No decreto nº 713, de 08 de maio de 1988, foi tombada como Patrimônio Histórico Municipal pelo então prefeito Adalberto Aragão. Em 2020 o governador Gladson Cameli assinou um decreto que protege o bem.

Já o projeto de reforma do espaço cultural público da Usina de Arte João Donato também passa por processo interno licitatório, onde haverá a modernização do parque elétrico e da aquisição de equipamentos de sonorização, iluminação cênica, audiovisual, artes visuais, informática e instrumentos musicais. Esses equipamentos serão utilizados para oferecer serviços como cursos e oficinas e garantir o apoio aos eventos culturais que ocorrem no espaço.

A Usina de Arte João Donato é um dos espaços culturais mais queridos pela população acreana. Foto: Arquivo

A Usina já vinha passando por manutenções e intervenções físicas em outubro deste ano, onde foi realizada pintura das paredes e revitalização do deque em frente ao lago. A Usina de Arte, inicialmente, foi uma usina de beneficiamento de castanha na década de 1980. Depois de quase duas décadas de inatividade, tornou-se um espaço de cultura, onde ocorrem shows, espetáculos teatrais, lives, exposições, cursos e oficinas de formação artística.

Atualmente o quadro de funcionários conta com 20 pessoas e a gestão é feita a partir de três instituições: a FEM, a Secretaria Estadual de Educação e o Instituto de Educação Profissional do Acre.

Reforma do Cine-Teatro Recreio avança e o Governo trabalha para entregar obras nos primeiros meses de 2022

O Governo do Acre e a Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) vêm investindo pesado na recuperação e melhoramento dos aparelhos e espaços culturais do Acre, assim como também no incentivo às ações realizadas pelos trabalhadores da cultura de todo o estado.

Foto: Cedida

Prova disto é a reforma do Cine-Teatro Recreio, localizado na Gameleira, que está em reforma desde o início do mês de outubro, e seu cronograma de reforma segue avançando e deve ser entregue à sociedade e aos fazedores de cultura logo nos primeiros meses de 2022.

Para o presidente da FEM, Manoel Pedro (Correinha), a obra irá beneficiar os acreanos e fortalecer ainda mais os espaços históricos do Acre.

“Essa obra tem um valor significativo muito grande para os trabalhadores em cultura do Acre, pois o Cine-Teatro tem sido, por muitos anos, a casa de grandes espetáculos, e seu palco tem sido o berço de grandes artistas que passaram e passam pelo Cine. A reforma irá fortalecer ainda mais a cultura do Acre, e valorizar esse espaço que é histórico em nosso estado”, destacou o presidente.

 

Reabertura do Teatro Barracão é marcado por atividades voltadas a idosos

O Teatro Barracão Matias, localizado na regional Sobral em Rio Branco, tem uma grande relevância de serviços sociais e culturais oferecidos à população de Rio Branco, e, em especial, aos moradores da Baixada da Sobral: dança, música, capoeira, teatro, aula de violão e forró para a terceira idade estão entre as diversas modalidades que o Barracão dispõe para a população que viu todas serem suspensas por decorrência da pandemia.

Agora, após mais de um ano, o espaço volta a atender e a oferecer seus serviços gratuitos à comunidade. Nesta quinta-feira, 4, o Barracão recebeu a Associação de Arte em Movimento do Idoso de Rio Branco (AMIRB) e alunos do curso de Fonoaudiologia do Centro Universitário UniNorte. Os idosos puderam participar de atividades físicas e culturais, como canto e dança.

As atividades da AMIRB são realizadas no espaço cultural e incluem teatro, dança, coral, além de esportes e, em breve, cursos e oficinas. Todos são voltados à melhor idade e buscam a qualidade de vida e o fortalecimento de vínculos com familiares, além de servir como terapia ocupacional.

O coral dos idosos apresentou diversas músicas no auditório do teatro. Foto: Carol Lamar

A coordenadora da Associação, Raimunda Antunes, fala sobre o apoio do Governo do Estado, que fortalece a AMIRB. “Essa parceria nos fortalece, porque os idosos ficaram muito fragilizados nesse momento de pandemia. Muitos perderam familiares. A Associação está redobrando os cuidados com a pessoa idosa, trabalhando para garantir a qualidade de vida deles. Estamos tendo atividades de segunda a sexta-feira no teatro Barracão, com todos os cuidados exigidos pelos órgãos”, conta.

Dona Nazaré Amorim, de 67 anos, faz parte da AMIRB desde junho e sofria com depressão e ansiedade. “Um dia eu liguei pra Raimunda, que eu já conhecia, conversei com ela e disse que tinha um sonho de ser voluntária. Ela me convidou e comecei a ajudar a Associação. Hoje eu sou outra pessoa, me sinto muito gratificada por poder ajudar quem passa por problemas como ansiedade e depressão. A gente torna as pessoas felizes, interagindo com outros da mesma idade. Fazemos isso por amor.”, relata.

A AMIRB é apenas uma das diversas associações beneficiadas pelo Teatro Barracão Matias. Foto: Carol Lamar

Senadinho anuncia retomada das atividades para dezembro

Bateu saudades de um “pé de valsa”? Hoje, dia 4, o presidente da Fundação de Cultura Elias Mansour, Manoel Pedro (Correinha), recebeu o coordenador do Senadinho, Wilson Araújo. O motivo do encontro foi para tratar sobre a retomada das atividades do Senadinho para dezembro. As atividades foram paradas há, aproximadamente, um ano e meio devido a pandemia da COVID-19.

senadinho Archives - Notícias do Acre
Fonte: Agência de Notícias do Acre

Wilson conhece bem a importância que essas atividades têm na vida da população idosa acreana. Ele é fundador do Senadinho e há mais de 20 anos trabalha na organização dele. Para ele, é muito importante destinar a cultura para a terceira idade. “Me procuram dizendo que sentem falta desse contato”.

Casarão recebe comunidade em atividades culturais - Notícias do Acre
Fonte: agencia de notícias do Acre

A previsão agora é que as atividades sejam retomadas em dezembro deste ano e que a maioria dos encontros ocorram no espaço cultural O Casarão.

Museu da Borracha abre as portas ao público para visitações

Um salto ao passado, um retorno nostálgico às raízes e à infância no tempo do seringal, assim é o sentimento que muitos acreanos têm ao visitar o Museu da Borracha, em Rio Branco. Fundado no final da década de 70, o Museu da Borracha Governador Geraldo Mesquita, reúne no seu vasto acervo uma narrativa detalhada da história do povo acreano, com ênfase na Revolução Acreana, destacando os ciclos da borracha no estado.

O local para quem nasceu, viveu ou se criou nos milhares de seringais espalhados pelo Acre é uma verdadeira viagem ao passado, e reencontro com a identidade dos acreanos.

Devido à pandemia, as portas do museu tiveram de ser fechadas ao público, porém as atividades internas de manutenção e preservação do espaço foram mantidas. Agora, as portas estão abertas aos acreanos e turistas para visitação, de segunda a sexta, das 8 às 14 horas.

Poronga, cabrita (equipamento para a realização da sangria da seringueira), a tigela e a casa do seringueiro em Paxiúba, o som AM à pilha, a lamparina em cima da mesa ao lado da garrafa de café, na parede o quadro do Santo e da família, a espingarda e o famoso giral (local onde o seringueiro lavava sua louça) remontam o cenário da história e da identidade dos povos acreanos.

Não é de se admirar que muitos acreanos de várias idades se emocionam ao adentrarem aos espaços do museu, em especial a casa do seringueiro, e ver diante de seus olhos sua infância nas colocações e seringais.

Para a responsável pelo Museu da Borracha, Soraia Oliveira Gomes, o local é de grande valor e significado para a história do Acre.

“O espaço além de ser muito agradável e aconchegante tem uma carga histórica significativa que apresenta detalhadamente como os seringueiros viveram e é fundamental para nossa história, é o nosso maior patrimônio histórico”, conta.

História do Museu

O Museu da Borracha foi instituído pelo decreto estadual de 3 de abril de 1978, e inaugurado em 5 de novembro do mesmo ano, durante a gestão do governador Geraldo Gurgel de Mesquita, por ocasião das comemorações do primeiro centenário da migração nordestina para o Acre. Na época, subordinado à Secretaria da Educação e Cultura, sua primeira sede foi em um edifício localizado na avenida Getúlio Vargas, em Rio Branco.

Em 1986, o museu foi transferido para a sede da Fundação de Cultura Elias Mansour, hoje responsável pela administração dos espaços museológicos e demais equipamentos culturais do Acre. O museu ocupa desde então a função de central museológica do estado, destinando-se à guarda de parte significativa de seus registros documentais, históricos e culturais.

Com a extinção da Superintendência da Borracha (SUDHEVA) em 1990, e após autorização do Ministério da Agricultura, o museu passou a ocupar a antiga sede do órgão extinto, um edifício de 510 m², situado na avenida Ceará, no centro de Rio Branco, onde se encontra até hoje. Além dos espaços expositivos, o museu conta com reserva técnica, áreas para atuação didático-cultural, biblioteca, arquivos históricos e um auditório com capacidade para 60 pessoas.

 

Governo revitaliza espaço da Usina de Arte João Donato

Garantindo o fortalecimento da cultura do estado, o Governo do Acre, através da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) realiza intervenções de revitalização na Usina de Arte João Donato.

A Usina de Arte ainda não havia passado por um processo de revitalização nos últimos 15 anos. Foto: Hannah Lydia

Inaugurada em 2006, a Usina ainda não havia recebido processos de recuperação nos últimos 15 anos. Os ambientes a passarem por intervenções são: o deque, o teatro, o restaurante, a galeria, a biblioteca Juvenal Antunes, o estúdio de música, os camarins e todo o espaço externo, incluindo o espelho d’água, uma cascata localizada na entrada da Usina.

Deque da Usina de Arte também passa por um processo de revitalização. Foto: Hannah Lydia

O espaço está voltando a ofertar cursos e oficinas a partir de outubro. As inscrições para a oficina de trabalhos artísticos e sustentáveis já estão abertas. Já estão ocorrendo os cursos técnico de processos fotográficos, de iniciação teatral, e de qualificação profissional em assistente de produção cultural.

A Usina de Arte, inicialmente, foi uma usina de beneficiamento de castanha na década de 1980. Depois de quase duas décadas de inatividade, tornou-se um espaço de cultura, onde ocorrem shows, espetáculos teatrais, lives, exposições, cursos e oficinas de formação artística.

Atualmente o quadro de funcionários conta com 20 pessoas e a gestão é feita a partir de três instituições: a FEM, a Secretaria Estadual de Educação e o Instituto de Educação Profissional do Acre.

O Governo do Acre está revitalizando diversos espaços culturais. Foto: Hannah Lydia