CURSO DE INICIAÇÃO ÀS DANÇAS CIGANAS É CONTEMPLADO POR EDITAL

A dança cigana é uma expressão corporal rica e antiga, derivada dos vários povos ciganos espalhados pelo mundo. No Acre, o projeto “Iniciação às Danças Ciganas” foi contemplado pelo edital de Formação nº 001/2020 da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), financiado com recursos da Lei Aldir Blanc. Esse projeto é fruto da arte da professora Paula Santos, pioneira nessa forma de dança no Estado.

O módulo é totalmente gratuito e as aulas são ministradas às terças e sextas-feiras, das 16h às 18h, na casa de cultura Vivarte, localizada na rua Tapajós nº 508, bairro Isaura Parente. É obrigatório o uso de máscaras e as vagas são limitadas para respeitar as exigências devido à pandemia da COVID-19. Os alunos interessados devem vestir roupas confortáveis e que permitam os movimentos: as saias de cigana são disponibilizadas durante as aulas e totalmente higienizadas.

Paula lembra com felicidade que ouviu sobre a lei Aldir Blanc através das redes sociais. “Essa lei foi muito benéfica para nós, fazedores de cultura. Ela facilitou para que pessoas que não tinham oportunidades de mostrar seu trabalho pudessem mostra-lo através de projetos. ”

A professora explica que idealizou o projeto através do desejo de tornar a dança conhecida no Acre. “Eu precisava que o trabalho da minha vida fosse conhecido, e sei que muitas mulheres, principalmente durante a pandemia, passam por problemas. ”, frisa. “E eu quero que meu trabalho traga uma nutrição emocional. Dentro da nossa oficina, a gente também faz meditação e poemas, além de falar sobre nossas dificuldades, acolhendo todas. “

A professora conta que se apaixonou pelo bailado em 2014, mas que desde criança já se interessava pela cultura cigana. Muito além da dança, ela relata que gosta de estudar a cultura e as tradições desse povo.

“Quando eu fazia dança do ventre e fui pesquisar sobre, encontrei a dança cigana. Uma vez vieram algumas professoras de outros estados e uma das bailarinas, que era de Manaus, contou que dava aulas de iniciação à dança cigana. Eu fiz o primeiro módulo com ela e recebi meu certificado, passei dois meses em Manaus e voltei ao Acre”, descreve.

Por conta dessa viagem, Paula conheceu outras dançarinas e realizou cursos ministrados por professoras de todo o país, inclusive tendo aulas virtuais e conta como aprendeu sobre as diferentes danças ciganas de países como Espanha, Arábia e França.

Não há como traçar precisamente a origem desse povo, porém, de acordo com a apostila de dança cigana do Sindicato dos Profissionais de Dança do Rio de Janeiro, eles são originários da Índia devido ao idioma falado pelos diferentes povos ciganos. No Brasil, datam de 1568 com a chegada do cigano João Giciano e sua família.

Gostou? Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp