Dia Mundial do Compositor: Duda Modesto

O processo de composição de uma música envolve criatividade, trabalho duro e muita arte. É sobre escrever com o coração, tocar almas, balançar as estruturas com palavras cantadas e tocadas.

De acordo com a Fundação Nacional de Artes, a Funarte, no dia 15 de janeiro é celebrado o Dia Mundial do Compositor, data que, em 1945, a Sociedade de Autores e Compositores foi criada no México, e o mundo inteiro adotou.

Visando homenagear os compositores locais, o governo do Estado do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), bateu um papo com a cantora e compositora Duda Modesto.

Duda está envolvida no mundo da música há 7 anos. Durante sua infância e adolescência, sua relação com a música era apenas de ouvinte; ela não imaginava que poderia estar fazendo música. “Só depois de adulta eu decidi aprender a tocar violão. Comecei a compor sonhando, e contratei um professor para me ajudar a colocar aquelas músicas pra fora”, conta Duda. “Depois que consegui começar a compor, não parei mais! Meu professor, que cantava na noite, me chamou para cantar também”.

Duda já está envolvida com a música a 7 anos. Foto: Nay Menezes/Instagram

Para a artista, o processo de composição é realizado pensando em letra, melodia e harmonia ao mesmo tempo. Ela conta que gosta de encontrar acordes que a agradam, então balbucia algumas palavras, que viram frases, que viram ideias e histórias. “Gosto de fazer isso assim que acordo ou de madrugada. ”

E ela dá algumas dicas para quem quer começar a compor, como saber tocar um instrumento, o que facilita na parte melódica. Outra dica é gravar tudo o que vem à mente, qualquer que seja o ritmo, anotar a letra e depois filtrar o que você realmente gostou.

Quando se é um artista, muitas vezes você assume uma persona durante o processo de apresentação artística. Às vezes, alguém extremamente tímido incorpora um papel de uma pessoa confiante, que brada suas falas no palco de um teatro. Ou, alguém reservado sobre seus sentimentos canta com o coração sobre todas suas feridas ao som de um violão.

Para a cantora, não seria diferente. “No meu dia a dia eu costumo ser uma pessoa mais racional e prática. Quando assumo o papel de artista, tenho que afastar esse lado pra abrir espaço pra uma Duda mais emocional, que às vezes é até difícil de acessar, mas que é onde mora minha criatividade e sensibilidade. Felizmente hoje estou cada vez mais conectada. ”, revela.

Duda incorpora um lado mais emocional ao compor. Foto: Instagram

E Duda revela alguns de seus músicos favoritos, seja local ou nacionalmente. Nomes como Lenine, Rubel e a baiana Clariana surgem facilmente à sua memória. Mas a compositora também exalta nomes acreanos: “sou fã da Kelen Mendes, do Diogo Soares e de outros tantos porque temos muitos artistas excelentes! ”

E pra quem quer conferir os trabalhos de Duda, seu primeiro EP “Que Ela Saia” será lançado em meados de março. As faixas passeiam pelo MPB e pelo pop, tendo como carro-chefe o track “Pressa Safada”. Por enquanto, Duda posta músicas em seu perfil no instagram @dudamodestto e no YouTube. Sua faixa “Esparramar” esteve no projeto “Sessão Aquiry”, do músico João Vasconcelos.

Gostou? Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp