Encontros online promovem incentivo aos segmentos culturais

As discussões entre a Fundação Elias Mansour (FEM) e representantes do setor cultural para sanar dúvidas sobre a Lei Aldir Blanc tiveram início nesta terça-feira, 11. A primeira reunião ouviu profissionais do segmento LGBTQIA+ através de um encontro virtual.

Para Rose Farias, presidente da Associação de Homossexuais do Acre, a reunião demonstra o reconhecimento e escuta de trabalhadores da cultura do grupo. “Esse reconhecimento de que existe uma cultura e uma arte LGBTQIA+ é extremamente necessário porque nós temos artistas e trabalhadores da arte em vários segmentos”, conta Rose.

“Agora podemos apresentar nossas propostas e, quem sabe, contemplar muitos projetos para o nosso segmento”.

De acordo com o coordenador geral do Grupo Arigó de Livre Orientação Sexual e Identidade de Gênero, Daniel Lopes, a aprovação da Lei Aldir Blanc significa que a cultura promovida por artistas LGBTQIA+ também merece destaque e incentivo. “Estamos debatendo uma lei que irá ajudar várias a sair das situações financeiras e até psicológicas que se encontram por conta da pandemia.”, afirma Lopes.

Durante os próximos dias, a FEM irá promover encontros com outros segmentos da cultura.

Confira a programação abaixo:

Dia 11/08 – segunda-feira

LGBTQIA+

Dia 12/08 – terça-feira

Audiovisual

Teatro

Dia 13/08 – quarta-feira

Culturas urbanas

Gostou? Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp