Entre letras e câmeras: Autora lança livro e produz documentário através da lei Aldir Blanc

Já pensou em fazer uma viagem e se deparar com um livro na poltrona?  Ou quem sabe assistir a uma produção cinematográfica local? Fátima Cordeiro teve dois projetos aprovados pela lei Aldir Blanc, um de incentivo à leitura, o projeto “Viajando Com a Louca do Orfanato” e uma produção audiovisual, o documentário “Causos e Histórias com Cheiro da Mata”. Ela diz que se sentiu muito importante com a aprovação dos dois projetos “A gente tem essa sem sensação de pertencimento social. ”

 O projeto é inspirado no conto “A Louca do Orfanato” de sua autoria que fala sobre Manoela, uma menina que foi abandonada em um orfanato por sua mãe e sonha que um dia ela voltará para busca-la. A personagem principal é acometida pela síndrome de Tourette, um distúrbio neuropsiquiátrico caracterizado por tiques múltiplos, motores ou vocais, que persistem por mais de um ano e geralmente se instalam na infância. A autora utilizou dos ruídos sonoros e dos palavrões na expectativa de assim se aproximar do leitor. O livro já está na sua segunda edição e possui tradução para o espanhol.

A inspiração vem do interesse pessoal da autora por temas psicológicos. Segundo ela, esses contos dão muita abertura para a imaginação, dentro do contexto da síndrome é claro. Para construir a personagem ela teve que assistir a vários filmes e pesquisar sobre junto a psicólogos e educadores. O plano da autora é destinar os livros a passageiros na rodoviária internacional de Rio Branco para que eles viagem com “ A louca do orfanato”.  O destino que será escolhido ainda é desconhecido. Haverá uma equipe de 5 pessoas que distribuirá os livros nas poltronas; antes dos passageiros embarcararem o livro já vai estar lá! No primeiro dia de realização do projeto haverá performance cênica com a atriz e escritora Mazé Oliver que interpretará a mãe da personagem principal do livro.

O segundo projeto aprovado chama-se “Causos e Histórias com Cheiro da Mata” em que ela é roteirista e produtora. Trata-se de um curta metragem com duração de 15 minutos onde Fatima tenta transpassar a escrita para o cenário cinematográfico.   A produção trata-se de uma ideia conjunta em que ela e Nonata Souza trabalham registrando narrativas contadas pela terceira idade. 

O segundo projeto aprovado chama-se “Causos e Histórias com Cheiro da Mata” em que ela é roteirista e produtora. Trata-se de um curta metragem com duração de 15 minutos onde Fatima tenta transpassar a escrita para o cenário cinematográfico.   A produção trata-se de uma ideia conjunta em que ela e Nonata Souza trabalham registrando narrativas contadas pela terceira idade.