Exposição em Memorial dos Autonomistas atrai população acreana

A exposição “1936: A Trajetória – Um Voo pela História da Aviação no Acre” recebeu, durante sua primeira semana de exibição, um total de quase 2.000 pessoas. Esse montante foi registrado pelos funcionários da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), que monitoram o fluxo de pessoas no Memorial dos Autonomistas. A exposição segue até o domingo, 27.

A entrada e saída de pessoas está limitada a, no máximo, 30 pessoas no espaço geral e 20 pessoas por ambiente: Theatro Hélio Melo ou Memorial dos Autonomistas. Antes da visita de cada grupo, o espaço do teatro é higienizado para poder receber as pessoas com segurança. Na entrada, os recepcionistas aferem a temperatura e indicam o totem de álcool em gel. O uso de máscaras é obrigatório.

A organizadora e curadora da exposição, Sueila Pinheiro, conta que a mostra é uma novidade que está sendo bem aceita pela população rio-branquense. “Nós temos percebido um grande interesse por parte das pessoas. Temos recebido diversos tipos de público, desde crianças até idosos, e muitos conhecem bem pouco sobre aviação, sendo esse o primeiro contato”, conta Sueila.

A ideia do tema surgiu de uma conversa entre o diretor-presidente da FEM, Manoel Pedro (Correinha) e o diretor técnico do Sebrae, Lauro Santos. Como a história da aviação no Acre ainda não tinha sido contada à população, ambos acharam interessante e levaram ao conhecimento do governador Gladson Cameli, que acolheu a ideia. Após a aprovação, houve uma conversa com a Força Aérea Brasileira para trazer a réplica do caça F-39 Gripen para compor a exposição.

Aurinete Franca, que é a arquiteta responsável pela elaboração e montagem de “1936: A Trajetória”, conta que o processo de elaboração foi bem tranquilo. “O conceito que veio à minha mente foi algo que trouxesse leveza e transparência, por isso os displays. Juntamente com a Sueila, que é historiadora, compomos o cenário cronológico”, relatou Aurinete.

O maior desafio foi o tempo para elaborar e executar a exposição. Por meio de muita pesquisa, foi percebido que Guiomard Santos, um dos autonomistas responsáveis pela emancipação do Acre, foi também o responsável por trazer a aviação ao estado, com benefícios políticos, sociais e econômicos. A pista do aeroporto Salgado Filho, inclusive, foi construída pela própria população.

“Conseguimos vencer os desafios. Tivemos uma parceria fundamental com a equipe da FEM, com o pessoal do Memorial dos Autonomistas. O sucesso de uma exposição como essa está associado ao nosso desempenho. Foram dias, noites e madrugadas pensando, discutindo online, elaborando. É uma exposição temática onde aprendi muito. ”, destaca Aurinete.

A exposição “1936: A Trajetória – Um Voo pela História da Aviação no Acre” está à mostra no Memorial dos Autonomistas, no centro de Rio Branco. O horário de funcionamento é:

Segunda a sexta: 9h-12h e 13h-21h

Sábado e domingo: 16h a 21h

Gostou? Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp