Projeto da Divisão de Patrimônio Histórico e Cultural da FEM chega a Porto Acre

O município de Porto Acre recebeu nos dias 22 e 23 de novembro, o projeto da Divisão de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHC) da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) que visa realizar uma articulação institucional para o fortalecimento, reconhecimento e valorização do patrimônio histórico e cultural nos municípios acreanos.

O evento ocorreu no auditório da Câmara Municipal dos vereadores, Palácio José de Souza Medeiros, e contou com a presença de gestores municipais das pastas de Cultura, Educação, Gabinete do prefeito, Assistência Social, Câmara dos Vereadores, Saúde e pesquisadores da área de patrimônio cultural. A programação do projeto previu, no decorrer de 16 horas de capacitação, a realização de três oficinas e uma visita de campo. 

Foto: Hannah Lydia

Foi apresentado para validação dos presentes, os 47 bens culturais identificados e catalogados durante a realização do Inventário Nacional de Referências Culturais no município de Porto Acre do Instituto de Patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN), ação realizada em parceria com a FEM nos anos de 2009 e 2010. 

Na segunda oficina, a servidora Aurinete Malveira explanou sobre a importância da educação patrimonial para o fortalecimento da cultura local e organização do roteiro do corredor cultural que os gestores escolheram para a pesquisa de campo. 

Iniciando a vistoria técnica, as servidoras da FEM junto aos gestores municipais e pesquisadores visitaram 11 (onze) bens culturais, são eles: Obelisco da Revolução Acreana, trincheiras; Árvores mangueiras (tombadas por decreto municipal); vestígios da mesa de renda de Luís Galvez; fontes de águas naturais; Sala Memória de Porto Acre; residência do primeiro prefeito, João Asfury; escola Venceslau Salinas e Igreja Nossa Senhora de Nazaré.

Na última parte do projeto, a servidora Hannah Lydia realizou a oficina de jornalismo cultural com os participantes, falando sobre a importância das mídias sociais e da divulgação das atividades artístico-culturais dos trabalhadores e trabalhadoras da cultura portoacrense. Além de uma aula prática sobre criação de releases, onde os mesmos desenvolveram ideias para o futuro sobre a instalação de uma Praça da Revolução e restauro dos bens históricos para potencializar o turismo na região.

Ao final dos dois dias de atividades, os participantes realizaram uma avaliação positiva sobre o projeto e pactuaram organizar um grupo de trabalho para iniciar os estudos para a implementação da legislação municipal de patrimônio histórico e cultural. 

Segundo a Diretora de Cultura, Josielma Oraquis: “O projeto foi extremamente importante para os gestores, a metodologia utilizada foi clara e fez todos participarem ativamente. Desejo que tenha mais parcerias e que a FEM retome a parceria na área de patrimônio histórico de Porto Acre”. Para a coordenadora do projeto, Elane Cristine: “A realização do projeto foi impactante. Após a visita de campo com os participantes percebeu-se que a localidade possui diversos bens que fazem parte da contextualização histórica da formação administrativa do município e que podem ser potencializados cultural e turisticamente”.

No dia 24 de novembro, a equipe técnica do FEM visitou ainda o Seringal Bom Destino, distante 1h40min de Porto Acre, para a realização do parecer técnico arquitetônico do bem imóvel, uma vez que o mesmo é o primeiro bem tombado pelo Conselho Estadual de Patrimônio Histórico e Cultural e, seguindo a legislação estadual, precisa de fiscalização anual sobre sua situação.w

Gostou? Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp