CULTURA DO ESTADO DO ACRE

MEMORIAL DOS AUTONOMISTAS

SENADOR GUIORMAR DOS SANTOS
memo01

Inaugurado em 2002, o Memorial dos Autonomistas Senador José Guiomard Santos, um prédio histórico localizado no centro da cidade de Rio Branco, é um complexo que oferece história, arte e cultura abrigando shows, projetos e outras manifestações artísticas em três espaços interligados: uma galeria de arte, onde há uma exposição permanente sobre o Movimento Autonomista do Acre, bem como mostras e exposições mensais abertas ao público – do salão,  é possível ter acesso ao mausoléu em que estão os restos mortais de Guiomard Santos e sua esposa Lydia Hammes; o Theatro Hélio Melo, um teatro com 150 lugares cujo nome homenageia um dos artistas de maior expressão da arte local; e um ambiente gastronômico, o Café do Theatro, temporariamente fechado.  

O público que visita este espaço pode conhecer, ainda, jornais do período entre 1904 a 1962, fotos históricas do estado, objetos marcantes e narrativas sobre importantes fatos e personagens da trajetória do Acre.

O nome refere-se ao movimento político que emancipou o Acre. O Senador Guiomard Santos foi o responsável pela elaboração do projeto de lei que transformou o território em estado. Esse projeto causou grande movimentação política em todo o Acre e chegou em 1957 ao Congresso Nacional, onde, depois de muitas disputas, finalmente, em 1962, durante a fase parlamentarista do governo João Goulart, foi assinada a Lei 4.070, que elevou o território acreano à categoria de estado. 

Por contar e preservar esse episódio da história do Acre, o Memorial dos Autonomistas fora construído não só como espaço cultural e turístico, mas também de memória.

"O Memorial dos Autonomistas é um equipamento cultural que preserva memórias acreanas e proporciona visibilidade aos diversos seguimentos artísticos culturais."

Dulcinéia Vaz
Coordenadora do Memorial dos Autonomistas

No centro de Rio Branco, onde o tempo passa mais rápido, os carros trafegam em diferentes velocidades e as pessoas caminham na busca da realização das rotinas diárias, o conhecimento se faz presente em todos os tempos e espaços da Biblioteca Pública Adonay Barbosa dos Santos. No local a busca pelo conhecimento é pulsante, crianças, jovens, adultos e idosos passam horas e esquecem o tempo, imersos em livros de diferentes conteúdos, nos espaços de estudos, nas salas temáticas e na popular Filmoteca Acreana.

 

O Theatro Hélio Melo é parte integrante o Complexo Cultural também formado pelo Memorial dos Autonomistas e leva o nome de um dos mais importantes artista amazônicos, o artista plástico Hélio Melo. Tem capacidade para 150 pessoas e seu interior é todo feito em madeira, um dos espaços culturais mais arrojados de Rio Branco. É palco de projetos na área da música, cinema e teatro.

O artista Hélio Melo é lembrado pela sua significativa obra, que retrata
a vida dos seringueiros, os animais, a floresta e as mudanças
ambientais causadas pelo homem, e que o “Seu Hélio” fazia questão de
acompanhar de perto. No espaço onde hoje reside o teatro, Hélio Melo
tinha seu ateliê. Um artista sem igual que chamou a atenção no circuitos

nacional das artes, e, não só teve suas obras expostas em vários estados brasileiros, com também no exterior, em países como a Itália, Inglaterra e França.

  • FUNDAÇÃO DE CULTURA ELIAS MANSOUR
  • Rua Sen. Eduardo Assmar, 187
  • Bairro: Seis de Agosto, Rio Branco - AC
  • FONE: (68) 3224 – 0116
  • E-mail: gabinete.fem@ac.gov.br